sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Salve-me

Sauve-moi
Guillaume Musso (2005)
Pocket (404 pág.)

Romance.

A gente lê um livro, gosta e sai comprando outros do mesmo autor... Só que nem todos são bons e a gente se decepciona.

Neste, que também se parece com um protótipo de filme americano, uma jovem francesa que estava morando nos EUA na esperança de se tornar atriz, sai do emprego, verifica que seu dinheiro já está no fim e compra a passagem de volta.
No último final de semana antes da viagem, conhece um homem e os dois se apaixonam. 
Por inúmeros problemas pessoais, inseguranças, etc., um mente para o outro.  Ela diz o nome errado e que é advogada, enquanto ele diz ser casado, apesar de sua mulher ter morrido há pouco tempo.

Eles se separam, como combinado no início, e ela vai para o aeroporto.
E o seu avião explode ao levantar vôo... 
 
Como já disse antes, gostei muito do "A Garota de Papel", mas este é fraco, tanto que agora que estou escrevendo sobre ele, seis meses após, descobri que já não lembro mais do fim...

Mas não vou ler esta história de novo, isso garanto.  


Em francês (acho que ainda não foi editado em português).

[terminei em 28/07/2013]

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

O Nome de Jesus



O Nome de Jesus (The name of Jesus)
Kenneth E. Hagin
Tradução de Gordon Chown (1988)
Graça Editorial - (144 pág.)

Releitura da releitura....

Há livros assim, que permanecem em nossas vidas e, volta e meia, lemos de novo.

Se estou lendo pela terceira vez, é claro que recomendo.

[terminei em 28/07/2013]

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Livros e arte - 51


Andre Kohn
Pintor russo (1972 - )

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Faça seus próprios moldes

Make your Own Dress Patterns
Adele P. Margolis (1985/2006)
Dover (464 pág.)
(em inglês)

Moda.

Excelente livro!

O visual é antiguinho... todo com desenhos lembrando os anos 80, mas o conteúdo é ótimo, objetivo, claro e completo.




















A autora, já falecida, se propôs a mostrar como fazer moldes de roupas femininas, em inúmeras variações, com muitos detalhes.












O trabalho se destina a quem já sabe fazer o básico, a autora  começa a partir dos moldes básicos prontos e vai ensinando como transformá-los nos modelos apresentados.
 




Livro que se guarda com muito carinho, não se empresta para ninguém, e que serve de referência e inspiração permanentes.



Imprescindível.

Uma das melhores compras que fiz nessa área.

Recomendadíssimo.





[terminei em 21/07/2013]

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Livros e arte - 50

Antonia Franck
????

Infelizmente a imagem está na internet sem informações sobre a artista além do nome que, inclusive, nem sei se está correto.  Mas o desenho é lindo.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Nos Bosques Eternos

Dans les Bois Étérnels
Fred Vargas (2006)
J'ai Lu (477 pág.)
(em francês)

Suspense. Policial.

Mais um da Fred Vargas.

Esse é ambientado no Canada. Adamsberg e sua equipe viajam para participar de um treinamento de técnicas de investigação, tipo CSI...

Lá, entretanto, ele fica sabendo que Camille teve um bebê, inicia um relacionamento com uma moça que conhece em um passeio pelo bosque e se vê envolvido em um assassinato, só que, desta vez, como o principal suspeito....

O título faz um trocadilho, vez que a palavra "Bois" pode significar "bosque" e, também, a "galhada" dos cervos que são mortos no livro, trocadilho que se perde na tradução, por ser impossível repeti-lo em português.

Aliás, ainda não sei se este já foi lançado no Brasil, já que não consta do catálogo da Companhia das Letras que costuma editar a autora por aqui.

 O livro sofreu muitas críticas dos canadenses, que o acharam equivocado quanto aos comentários de hábitos e sotaques.

Para mim, que não seria capaz de diferenciar os sotaques, não fez diferença.  A trama não é das melhores dela, mas, ainda assim, como sempre, me prendeu e divertiu.

E o próximo já foi comprado e está na estante aguardando seu momento...
[terminei em 19/07/2013]

sábado, 25 de janeiro de 2014

Livros e personalidades - 42

William Faukner em 1955

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

O livro de mão das técnicas de costura

The Dressmaker's Handbook of Couture Sewing Techniques
Lynda Maynard (2010)
Interweave (156 pág.)
(em inglês)

Costura.

O título deste livro engana o comprador.  Em inglês, "Couture" se refere ao que chamamos, em português de "Alta Costura", enquanto que a costura comum é "sewing".

Só que as técnicas ensinadas neste livro não têm nada de alta costura.

A edição do livro é até interessante, cada assunto tratado vem com muitas fotos, grandes, que ajudam a compreender a técnica aplicada, mas os exemplos são fracos, não têm nada de muito complicado.

O papel é de otima qualidade, mas ninguém compra livro pelo papel, mas pelo seu conteúdo.

Lamentável.

Não cheguei a perder totalmente meu tempo ao ler, mas, obviamente, não recomendo. De forma alguma!

[terminei em 05/07/2013]

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Livros e arte - 49

Olga Alimpieva
(o nome é uma transliteração do russo, 
então não tenho certeza se é Alimpieva ou Alympieva ou, ainda, Alimpievna...)

Uma gentil leitora postou um comentário desejando que voltasse a postar imagens com livros e foi aí que notei que passei quase todo o ano de 2013 sem elas...  que retornam agora!

domingo, 19 de janeiro de 2014

Esse é meu tipo

Esse é Meu Tipo
Simon Garfield (2010)
Trad. Cid Knipel (2012)
Zahar (348 pág.)

Técnico.

Há muitos anos atrás li o excelente livro "Design para quem é designer"  de Robin Williams (não, não é o ator, mas uma mulher...),  obra prática e objetiva sobre elementos básicos de configuração e arrumação de textos, que indico para todos os que trabalhem com computadores e textos, ou seja, todo mundo nos dias de hoje.

Quando vi uma propaganda sobre este livro, pensei que fosse  algo semelhante, mas não.

É um livro sobre a história dos tipos (ou fontes), e como eles, desde Guttemberg, foram sendo formados e sua utilização no mundo digital.

Acabou sendo uma grata surpresa, pois é bem curioso.  O autor conhece profundamente o assunto e escreve bem, de forma agradável.  A tradução também é irrepreensível. 
 
Só que não é de interesse geral, sendo indicado para designers,  povo da informática e os verdadeiramente curiosos por assuntos diversos.
Eu me encaixei nas duas últimas categorias...

[terminei em 28/06/2013]

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Um Guia para a Costura de Moda

A Guide to Fashion Sewing
Connie Amaden-Crawford (19??)
Fairchild Books (376 pág.)
(em inglês)

Costura.

Manual de costura, muito bem ilustrado com desenhos do passo-a-passo e vem acompanhado de CD com vários arquivos e pequenos vídeos.


Inicia com aquela parte obrigatória dos livros americanos sobre materiais, tipos de tecidos, como dispor os moldes sobre o pano, pontos à mão, etc., que se repete tanto em todos os livros que já não aguento mais....
 
Começa mesmo na página 82, com uma orientação sobre a ordem de costura das partes de uma roupa e, em seguida, detalha em cada capítulo:
 pences, pregas, costura em viés, malhas, ziperes, bolsos,  mangas e punhos, golas, decotes, acabamentos, forros, peças de alfaiataria, cinturas, bainhas e fechamentos.


Me lembrou o excelente Professional Sewing Techniques for Designer's de Julie Cole e Sharon Czachor.

Esse é um pouco mais direcionado para iniciantes, as ilustrações estão mais organizadas, mas, ao mesmo tempo, menos abrangente.
Por pouco eles não se igualam, mas continuo preferindo aquele.   Mas, na impossibilidade de encontrar aquele, vale a pena comprar esse. 

Também recomendado. 

[terminei em 26/06/2013]

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Fazendo vestidos

Dressmaking
Alison Smith (19??)
DK Publishing (275 pág.)
(em inglês)

Costura.

A proposta do livro é interessante, de mostrar modelos básicos de vestidos, blusas, saias, calças, jaquetas com algumas variações simples de cada uma.





E a construção de cada uma é mostrada passo-a-passo.

O único porém é que o livro é muito longo (e, conseqüentemente, caro) à toa.

Começa com toda aquela introdução a respeito dos materiais, ferramentas, que tem em todos os livros americanos/ingleses... Mais uma seção sobre tecidos... Ou seja, 79 páginas desnecessárias.  Depois, uma outra seção a respeito de elementos básicos de costura... e o livro começa, mesmo, na página 129... e termina na 275, já que, depois, há somente desenhos, em tamanho reduzido, dos moldes (o que não ajuda muito..).

Mas, como disse antes, a idéia de acompanhar toda a construção da peça, do começo ao fim, é ótima.  A maior parte dos livros ensina a costurar a gola, o bolso, a bainha.... e muitas pessoas ficam em dúvida de qual a ordem a seguir, além de ser ótimo um tutorial seguidinho, com todos os passos necessários juntos, com fotos.

Não é essencial, mas é bom para as iniciantes.

[terminei em 21/06/2013]

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

A Garota de Papel

La Fille de Papier
Guillaume Musso (2010)
Pocket - 475 pág.
(em francês)

Romance.

Livro do tipo chiclete, que a gente tem dificuldade em largar.

Eu já tinha ouvido falar do autor, mas a impressão que eu tive não era boa, tipo algo bem comercial, literatura simplória.

Mas um amigo menos preconceituoso do que eu e que é especializado em livros, pessoa altamente letrada, livreiro de profissão (http://www.bonslivrosparaler.com), falou bem deste em particular e lá fui eu.

E foi realmente bom.  O livro não muda a vida de ninguém, mas é divertido, muito divertido.

Tom Boyd, um escritor de grande sucesso, namorava uma pianista também conhecidíssima no mundo todo e ela o deixa, justamente quando faltava escrever o último volume de sua trilogia.  Ele entra em depressão profunda e  seu grande amigo e empresário faz de tudo para o salvar dos remédios para dormir e da bebida.

Um desses dias em que Milo vai à casa do escritor, tentar acordá-lo desse torpor, ele leva um exemplar de um dos livros anteriores, uma edição especial, ilustrada, que precisava da autorização do autor para ser incinerada, por causa de um erro de impressão que tinha deixado metade do volume em branco, parando no meio de uma frase.

Milo obtém a autorização, mas o volume fica lá.

Durante a noite... aparece Billie Donelly.

Infelizmente não posso contar mais, senão estraga.

Mas aconselho muito, para quem quer se divertir lendo, sem preconceitos.

[terminei em 31/05/2013]

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

O Pagamento

O Pagamento
Philip K. Dick (2004)
Record - 382 pág.

Contos de ficção científica.

Existem coincidências que levam a gente a conhecer novos autores. Eu ouvi falar desse autor várias vezes em um curto espaço de tempo, uma crítica de uma obra, um filme com o Matt Damon, outro com o Keanu Reeves, etc., até que encontrei esse volume em um sebo.
Comprei e li, porque tenho uma certa queda por ficção científica, mas os contos não corresponderam aos elogios da contra-capa. 

É um autor americano recente, morreu em 1982, e algumas de suas obras inspiraram os filmes: Blade Runner, Minority Report, O Vingador do Futuro e Os Agentes do Destino.


O Pagamento - Esse é o conto que deu nome ao livro e que, ao que parece, já virou filme.  Não me animei a pegá-lo.  Um homem encerra seu contrato em uma empresa e vai ao escritório receber seu pagamento.  Lá, uma secretária lhe entrega um envelope com alguns itens estranhos: um arame, um crachá, um bilhete de ônibus... Atônito, ele questiona o pagamento e verifica que ele próprio alterou o contrato para mudar o pagamento de uma certa quantia em dólares para esses badulaques.  Qual a razão?  É o que ele sai para descobrir.

Babá - Nesse ele faz uma severa crítica à indústria tecnológica e aos métodos empregados para forçar os consumidores a comprarem sempre o último modelo.  Um homem percebe que a babá-robô de seus filhos começa a apresentar avarias.  Ele resolve vigiá-la, até que percebe que outros modelos de babás-robôs, mais novos, estão atacando os mais antigos, durante a noite.

O Mundo de Jon -Em um mundo pós-destruição por uma guerra de máquinas, viajantes no tempo devem voltar ao passado para roubar uns papéis de um cientista. Na confusão, o tal cientista morre.  Ao voltar, eles descobrem que tinham evitado a guerra e seu mundo não era mais o caos que conheciam. 

Café da manhã no crepúsculo - Esse aborda uma questão interessante, sobre como as pessoas preferem as explicações que não incomodam. Família acorda, se prepara para tomar café-da-manhã e iniciar um novo dia quando percebe que, não há mais nada do lado de fora... Só poeira e fumaça. A vizinhança toda sumiu no meio de destroços e só a casa deles está de pé.

A cidadezinha - Um homem que foi rejeitado por sua família, na escola, por sua própria mulher, é demitido da empresa onde trabalhou por anos. Chega em casa e encontra a mulher com o amante.  Sem ligar para nada, vai para o porão, onde mantém um grande circuito de trem elétrico com uma réplica da cidade que ele mesmo construiu.  Irritado, ele começa a substituir os prédios dos lugares que ele não gosta por outros. E algo acontece com a realidade.

O Pai-coisa - Esse me lembra outra história qualquer.  Um menino vê pela janela seu pai conversar com outro homem, idêntico a ele. De repente, a cópia ataca o pai e suga sua vida. Depois, leva a casca vazia até a garagem e entra na casa, como se fosse o pai.  O menino finge nada ter visto e procura ajuda de seus colegas de escola, descobrindo que são seres em forma de larva que estão crescendo como casulos em uma plantação ali perto.

A cerca de cromo - Em uma sociedade do futuro espera-se o resultado de eleições entre os "Naturalistas" e os "Puristas". Antes de saber o resultado, uma família debate o assunto na hora do jantar, o filho sendo um purista, que acha que as pessoas devem ser submetidas a cirurgias para extrair glândulas de suor e para impedir o mal-hálito, enquanto o tio defende a manutenção do natural.  Os puristas vencem e o tio foge.
O pai que até então não queria saber de nada disso é quem acaba discutindo e sendo entregue aos puristas pelo próprio filho.  Mas ele prefere se deixar eliminar pela polícia a viver daquela forma.

Autofab - Para sustentar a população durante a guerra, foram criadas fábricas subterrâneas totalmente automatizadas para extrair e produzir os alimentos e os gêneros de primeira necessidade. Só que a guerra acabou e as fábricas continuam em plena operação, esgotando todos os recursos possíveis e fornecendo produtos que as pessoas não desejam...

Os dias de Pat Prafrente -  Esse é bem chatinho. Em um momento do futuro, em uma terra desolada, pessoas vivem em abrigos e passam o tempo com jogos com uma boneca, em que simulam uma vida normal para ela.

Plantão - No futuro, quando os EUA são governados por um computador gigante, o presidente é uma figura escolhida para ficar sem fazer nada, de plantão, para o caso de ser necessária. Como há muito tempo não é, escolhem sempre o funcionário mais simplório e inútil (será que tem alguma crítica nisso?). Só que a Terra é invadida por seres espaciais que destroem o computador, e é preciso que o presidente assuma. 

Uma coisinha para nós, temponautas - Esse também é bem chatinho.  Viajantes do tempo vão ao futuro e, lá, descobrem que eles morreram ao tentarem voltar para o seu tempo normal. 

As pré-pessoas - Esse é um claro manifesto contra o aborto e contra a idéia que uma pessoa possa determinar quando outra é necessária.  No futuro, as leis permitem que qualquer família que não esteja satisfeita com seu filho possa entregá-lo para "eliminação", basta que tenha até 12 anos, porque são considerados apenas "pré-pessoas".  Esse valeu o livro.

 [terminei em 14/05/2013]

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Um Otimista Incorrigível

Um otimista Incorrigível
Michael J. Fox (2009)
trad. Cassius Medauar
Planeta - 253 pág.

Esse é o segundo livro em que o conhecido ator de "De volta para o futuro" narra sua luta com o Mal de Parkinson.  O primeiro não chegou a ser publicado aqui no Brasil.

Como meu marido sofre com a mesma doença, comprei o livro.

Acho que esperava um pouco mais sobre a doença em si, mas ele centraliza as memórias aos trabalhos da fundação que ele criou para fomentar pesquisas de novos tratamentos contra a doença.



 [terminei em 30/03/2013]

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Morte em Pemberley

Death Comes to Pemberley
P D James (2011)
Faber and Faber - 330 pág.
(em inglês)

Policial.

A autora tomou os personagens de Orgulho e Preconceito e, a partir do final da história da Jane Austen, criou uma trama policial.

Quando soube do livro, fiquei ansiosa para lê-lo, já que tinha gostado muito da obra que o inspirou e comprei o meu, em inglês mesmo, porque ainda não saíra a tradução no Brasil (saiu depois, pela Companhia das Letras).

O livro é pesado, longo, e, ao contrário das várias críticas elogiando a autora americana, acho que ela foi desrespeitosa com os personagens, sugerindo idéias e motivações que nunca associaria a eles ao ler o romance da escritora inglesa.

Choque de culturas e épocas?  Talvez.
O fato de a autora ser americana, tratando de personagens ingleses fica marcado.

Mas Orgulho e Preconceito é obra que venceu o tempo e se tornou perene, e esse livro não se sustenta.

Só lembro que o li porque faço uma lista aqui no blog, senão já teria esquecido...


Decepção completa. 
Só valeu pelo esforço de ler em inglês.  Sempre acrescenta vocabulário.

 [terminei em 26/03/2013]